PRAIA DE ITAPARICA,VILA VELHA ,ES,BR

PRAIA DE ITAPARICA,VILA VELHA ,ES,BR
ENTARDECER NA PRAIA DE ITAPARICA,VILA VELHA,ES,BR

SERGIO DE MATOS Headline Animator

domingo, 4 de janeiro de 2015

..PROFISSÕES VALORIZADAS NO PETISMO .EMPREENDEDOR INTERNO E EXTENO DE DROGAS ,DESCONTO PARA TRAFICANTES..MINHA CASA MINHA COCAINA MEU CRACK PROJETOS DE 2015 DO PETISMO

 PROFISSÕES NA ERA DO PETISMO
EMPREENDEDOR 
INTERNO E EXTERNO
 DE DROGAS(TRAFICANTE)..,

VENDEM INTERNA 
E EXTERNAMENTE DROGAS NO BRASIL
 E EXPORTA PARA 
O MUNDO.
ATUA NO ATACADO E NO VAREJO LUCROS ACIMA DE 100 MIL MENSAIS
NECESSITA TER CONTATOS COM PETISTAS E AFINS
E AVAL DO PETISMO..
CUIDAM DA LOGÍSTICA,
MANIFATURA 
E DISTRIBUIÇÃO
 DE DROGAS
 ILÍCITAS EM GERAL.
DIREITOS
 A DESCONTOS :
NO MINHA CASA MINHA VIDA

ADVOGADOS BANCADOS PELO POVO VIA PT MST E OUTROS COLIGADOS

PENSÃO  VITALÍCIA
 AOS  FAMILIARES POR MORTE VIOLENTA,
INCLUÍDOS 
NO PROGRAMA DE
ANISTIA A PRESOS POLÍTICOS..
EXCLUSIVO PARA 
PARA TRAFICANTES
 DE DROGAS 
 SEUS COLABORADORES
E EMPREENDEDORES 
DO MERCADO EXTERNO DO TRÁFICO
 QUE FINANCIAM
 E FAZEM CAMPANHA POLÍTICA
 PARA PETISTAS E AFINS...

MINHA CASA 
MINHA COCAÍNA 
,MEU CRACK,
 MINHA MACONHA
 DELIVERY BY PETISMO
ASSIM SERÁ 2015 UM LUXO 
E VENDAS AMPLIANDO 
NO TRÁFICO DE DROGAS
GRAÇAS AOS PARCEIROS 
COCAILEIROS
 E NARCOTRAFICAS DO PETISMO..
TRAFICAS DO PROJETO MINHA CASA 
MINHA VIDA 
TERÃO DESCONTO SEMPRE 
QUE VOTAREM EM PETISTAS
 E FINANCIAREM SUAS CAMPANHAS POLÍTICAS 


domingo, 4 de janeiro de 2015


Minha Casa, Minha Vida: corrupção, tráfico, milícias, assassinatos etc.

O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,minha-casa-minha-vida-tem-denuncia-de-trafico-milicia-e-invasao,1615122O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, u


Das 108 denúncias registradas junto aos ministérios da Justiça e das Cidades,
 mais de metade envolvem a presença de traficantes,
 que agem como donos dos conjuntos habitacionais.
 Eis a vitrine do primeiro governo Dilma:
 construídos com recursos do governo federal, denunciaram
 problemas com tráfico, atuação de milícias, invasões,
 venda ilegal de apartamentos e mesmo homicídios
 em pelo menos 16 Estados brasileiros. A venda de drogas é a ocorrência mais frequente: das 108 denúncias enviadas desde abril aos Ministérios da Justiça e das Cidades, 70% envolvem a presença de traficantes, que por vezes expulsam, agridem e até assassinam moradores.
Depois do tráfico, o segundo maior número de relatos envolve
 a invasão de apartamentos (em grande parte das vezes, 
os crimes estão correlacionados), presente em 48% das denúncias. 
Em Rio Branco (AC), por exemplo, um morador do Residencial Rosa Linda,
 inaugurado em 2011, teria sido ameaçado e espancado, 
além de ter o imóvel invadido. As denúncias são anônimas.
 Em Rolândia (PR), no Parque Residencial José Perazolo,
 uma aposentada teria sido expulsa de casa por traficantes 
- e o apartamento transformado em boca de fumo.
A lista foi obtida pelo Estado no Ministério da Justiça,
 por meio da Lei de Acesso à Informação. 
As denúncias foram recebidas pelo grupo executivo
 criado em 8 de abril com o objetivo de “desenvolver 
ações integradas com órgãos de segurança 
sobre condutas ilícitas no âmbito de programas
 habitacionais instituídos pela União”.
O Estado comprovou as denúncias em Itanhaém, Peruíbe e capital paulista. 
No ranking de irregularidades por Estado, São Paulo ocupa o quarto lugar:
 10 denúncias, atrás de Minas e Rio, empatados com 18,
 e Bahia, na liderança, com 24. Só de um condomínio de Salvador,
 o Residencial Pirajá, com 340 apartamentos
 e inaugurado em março de 2012, partiram sete relatos,
 relacionados principalmente ao tráfico.
No Rio, o maior problema é a milícia. Três denúncias apontam
 o Condomínio Ferrara, em Campo Grande, na zona oeste.
 Em agosto, a Polícia Civil prendeu 21 supostos integrantes 
de uma quadrilha que faturava R$ 1 milhão por mês com 
a cobrança de taxas, venda e aluguel de imóveis em seis condomínios
 do Minha Casa Minha Vida, entre eles o Ferrara. 
Quem não cumpria as ordens era expulso. 
Se voltasse, era espancado ou morto.
 Denúncias envolvendo a atuação de milícias representaram 10% do total.
 A prostituição dentro de condomínios foi informada em 8% dos relatos.
Motivos. Outro condomínio com problemas no Rio é o Valdariosa,
 em Queimados, na Baixada Fluminense. 
Na tentativa de identificar problemas e soluções no conjunto,
 a Caixa contratou pesquisa coordenada pelo sociólogo Paulo Magalhães,
 do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade.
 Para ele, a invasão de traficantes e milicianos tem duas explicações. 
A primeira é a distância entre o custo financeiro da “formalidade” 
em relação ao da informalidade: nos novos apartamentos,
 ex-moradores de comunidades (em geral de áreas de risco) 
são obrigados a pagar taxas, ainda que mínimas. 
A segunda é a forma condominial como são administrados os prédios.
“Sem experiência nenhuma em gerenciamento de crise ou administração
, um morador é escolhido síndico.
 Com a falta de renda
 e o aumento do custo da moradia, o síndico acaba perdendo 
a autoridade. Ele não consegue responder às necessidades dos moradores,
 o que cria um elemento essencial para 
a entrada da milícia ou do tráfico”, disse o sociólogo.
O Ministério das Cidades informou que entre 1,5%
 e 2% do investimento feito na construção de um condomínio 
é repassado às prefeituras para oficinas e a criação de estratégias
 de desenvolvimento e acompanhamento das famílias -
 incluindo a capacitação de síndicos. (Continua no Estadão).

Um comentário:

Anônimo disse...
O GLOBO (GLOBO.COM) : "Petrobrás criou empresa de fachada para obra com gastos superfaturados em mais de 1800%" Lula e Dilma estavam na área .

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...